Eu e a Cidade

Eu e a Cidade

Se eu perguntasse a você: onde você mora? Sua resposta jamais seria: moro no estado do Rio Grande do Sul ou moro no Brasil. Sua resposta seria: moro na rua tal, no bairro tal ou na cidade tal. A nossa relação está diretamente ligada a uma cidade. Sensível, Santo Agostinho, no livro A Cidade de Deus, traduziu esta relação da seguinte forma: “A relação do ser humano com a cidade é tão próxima como de uma letra para uma palavra”. Ou seja, não tem como desassociar.

Público e Privado

Público e Privado

A cidade é dividida em espaços públicos e privados, inseridos dentro das quadras ou no sistema viário. Em resumo, o privado é visto nas quadras, na composição de lotes - nos quais são construídas ou não edificações com diferentes funções. Há o sistema viário privado, porém em bem menor número. Já o público é composto por um somatório de componentes que aparecem principalmente no sistema viário, como a rua (faixa de rolamento) e a calçada (faixa do passeio).

Uma lei para todos

Uma Lei Para Todos

Uma lei deve ser para todos, mesmo que todos não se sintam integrados pela respectiva lei. O efeito de uma norma pode ser visto em três níveis: educativo, restritivo e proibitivo. Primeiro você tenta educar, do contrário você restringe e, quando ambos não têm efeito, você proíbe e multa. As normas urbanas atendem os três níveis em todos os momentos. À medida que você cria “regras públicas” de convivência, estas estão umbilicalmente ligadas à relação do ambiente construído (edificado) com o ambiente natural (preservado) e destes dois com o ser humano.